• Ideias & Ensaios

Ainda podemos falar de política?

Atualizado: Fev 15

Tenho procurado deixar de lado discussões sobre política, pois elas nem sempre são levadas de forma tranquila, educada e sem agressões verbais simplesmente pela discordância em relação a ideia do terceiro, mas o que está acontecendo no Brasil é algo surreal. NUNCA vivenciei algo do tipo, um presidente que menospreza por completo a vida humana (os índios estão salvos), a sua falta de empatia, respeito ou discernimento é algo que vai além de qualquer forma de racionalidade e para piorar ainda temos o quadro ministerial, não se salva um.

As pessoas estão morrendo em hospitais pela crueldade como nossos governantes estão lidando com a situação. A sensação que tenho é que rumamos para a extinção dos brasileiros pobres, sem voz ou representatividade no congresso. Temos todos os tipos de bancadas representativas, bancada dos evangélicos, ruralistas, empresários, banqueiros e por aí vai, mas não existe NENHUMA bancada do povo. Eu sei que a nossa saúde nunca foi nenhum primor, nunca houve investimento sério em qualquer área que representasse algum tipo de melhoria para o cidadão comum. Se no passado, pois não culpo só o governo atual, a Saúde houvesse recebido os recursos da CPMF, talvez hoje nós tivéssemos condições de dar um pouco mais de dignidade as pessoas que se encontram - perdidas e largadas à espera da morte quase certa - nos corredores, cadeiras e os parcos leitos hospitalares desse imenso Brasil.

O que me surpreende e não deveria, é a crueldade, irresponsabilidade, ganância e egoísmo como as coisas estão sendo conduzidas para “minimizar” a situação dessas pessoas que estão sofrendo. Hospitais de campanha sendo construídos, insumos de todos os tipos sendo comprados, mas TODOS sem exceção, pautados pela pedra mor da política brasileira, a CORRUPÇÃO. Recursos que são desviados, materiais que NUNCA chegam ou são de baixa qualidade não servindo ao seu propósito, mas servindo ao propósito de alimentar a riqueza e poder das pessoas que estão envolvidas nesse processo. Profissionais estão na linha de frente para tentar diminuir essa mazela e se veem expostos a todo tipo de situação e saturação para dar aos doentes um tratamento mínimo enquanto a queda de braço entre os governantes ceifa suas vidas e as vidas das pessoas que lutam contra a doença.

Não posso falar pelos outros estados, pois não estou lá vivenciando a dor deles então vou falar do meu. Costumava dizer que no Rio de Janeiro você tinha mais chances de morrer dentro de uma unidade hospitalar por falta de atendimento do que morrer por bala perdida. Na época em que fiz essa comparação não faltavam tiroteios pela cidade e meu bairro era um dos principais em ocorrências. Temos um presidente da república que enxerga no nosso governador um potencial adversário para as próximas eleições e faz de tudo, tudo mesmo, para atrapalhar o governo de Wilson Witzel. Wilson Witzel sempre foi um grande fanfarrão e se alinhava com o presidente na máxima de que bandido bom é bandido morto. Hoje Witzel aparece com indícios de que também teria conhecimento ou envolvimento na compra dos respiradores fajutos e nas maracutaias sobre a construção dos hospitais de campanha, coisa normal nesse país. Por sua vez Marcelo Crivella, o mais atrapalhado de todos os prefeitos que já passaram pela cidade do Rio de Janeiro, coloca um tomógrafo na igreja evangélica de seu tio Edir Macedo e a justiça (eterna figurante) através da decisão de um desembargador durante plantão judiciário, permitiu a continuidade da instalação do tomógrafo na igreja pautado em “DADOS TÉCNICOS”.

Promover o isolamento social é algo crucial para que possamos SOBREVIVER. A falta de responsabilidade com que as pessoas estão lidando com essa “GRIPEZINHA” é assustador. Nosso honorável presidente fala em quebra da economia, mas se as pessoas voltarem a trabalhar o número de infectados e de óbitos vai aumentar em uma proporção inimaginável e pior, não vejo ninguém do grupo que é contra preocupado com isso. Esse grupo não atinou ainda que não possui recursos a sua disposição para lidar com a doença, muito diferente do presidente que tem tudo a sua mão num piscar de olhos. As pessoas entregaram o comando do país para uma pessoa que NUNCA fez nada em quase 30 anos de vida pública, achavam engraçado também falar de negros, mulheres, gays e de outros grupos que gostava de execrar. Continua sendo o que sempre foi, um parasita posto no comando da nação por gente que não foi capaz de ler nas entrelinhas quem realmente é JB. Gente que não se preocupou em procurar saber o que realmente JB havia feito em sua vida pública. O mote de que TEMOS QUE MATAR A PETRALHADA foi o motivo, foi o leme que conduziu esse barco que agora se encontra a beira de uma cachoeira prestes a cair e sem saber quantos estarão vivos para poder reconduzir o país para um caminho correto. JB nunca primou pelo diálogo e agora se vê encurralado atirando a esmo em qualquer um que possa representar algum perigo a sua permanência no cargo. Enquanto isso pessoas morrem, hoje até o final do dia provavelmente já teremos atingido a nefasta marca de 16 mil óbitos.

Estamos pagando pela omissão e irresponsabilidade de quem não quis procurar algo melhor que JB. O ódio criado pela mídia e pelas Fake News em cima do PT foi imenso. Passaram a odiar o PT sem ao menos saber a fundo o que realmente motivava esse ódio, odiava por ignorância e estupidez. JB recebeu votos de gente que se alinhava com ele em ideias, conceitos e forma de agir e com sua ascensão ao poder isso ficou mais visível do que nunca. As manifestações de ódio se tornaram corriqueiras e públicas.

Hoje somos uma nação que além de passar o papel de que sempre temos um “jeitinho” para resolver as coisas, também temos a fama de burros por temos colocado uma figura como JB na presidência do país.





#Vida #Mudança #Perspectiva

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo