• Ideias & Ensaios

A sua verdade não é a minha verdade.

Atualizado: 4 de Set de 2020

Porque será que é tão difícil aceitarmos o outro na forma como ele é sem querer impor as nossas “verdades”?

É muito comum questionarmos, criticarmos ou mesmo brigarmos porque o outro, seja ele quem for, diverge em alguma coisa dentro do nosso conceito de normalidade, hábitos e costumes. A nossa ótica, muitas vezes é de egoísmo brutal devido a nossa incapacidade de aceitar o outro como ele é e querer impor nossos parâmetros de vida sem que em momento algum paramos para questionar o que o outro sente e pensa em relação a tudo.

Se não gostamos da cor verde criticamos quem esteja usando essa cor com palavras às vezes bem ásperas sem perguntarmos se a outra parte também gosta da mesma cor que eu, e isso vai para todos os planos em nossa vida, desde alimentação, vestimenta, gosto musical, opinião política chegando na religião.

Temos uma capacidade fenomenal de observar tudo o que o outro faz e sofremos de uma miopia brutal quando se refere a nos enxergarmos como somos com todos nossos defeitos, e não são poucos. Enxergamos tudo o que o outro faz, detalhamos cada pormenor de seus atos, falas e gostos e nós, o que somos, seres perfeitos para termos essa capacidade de análise?

Nosso egoísmo nos cega a tal ponto de não sermos capazes de aprender a conviver com essas diferenças que são necessárias ao nosso próprio equilíbrio como seres humanos, as diferenças nos fazem pensar, observar e agir de forma positiva ou negativa dependendo do nosso entendimento. As diferenças deveriam nos levar a um questionamento positivo sobre o papel de cada um na vida de si próprio, em sociedade ou família. A partir do momento em que nos soltarmos dessas amarras que nos prendem dentro de um conceito egocêntrico de que nossa verdade é a verdade maior, passaremos a contribuir para uma convivência mais harmônica com os outros e consigo mesmo, pois o reflexo de um bom relacionamento, se resume na forma como você aceita a si mesmo com todas as suas imperfeições momentâneas e entende que isso faz parte do momento em que você se encontra e não é algo que ancore sua vida.

Quando deixamos de observar o que outro faz para enxergar o que o outro é como ser humano, começamos a criar a estrutura de uma ponte que conecta ideias diferentes para construção de um mundo mais igual. As diferenças sempre irão fazer parte do nosso cotidiano e aceitar a diferença de cada um sem impor a sua verdade que é somente sua, pode trazer descobertas como a de que talvez a verdade do outro também sirva para você e vice versa, desde que isso não seja imposto, mas sim apresentado como uma possibilidade viável de harmonia e convivência.


5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo