• Ideias & Ensaios

Fé, Medo e Mediunidade

Quem tem Fé não tem medo e quem tem medo não tem Fé, essa expressão é verdadeira?

Nossa presença nesse plano espiritual já responde parte dessa equação, mas por quê? A Fé permite que eu solidifique minha crença em algo maior do que sou, mas justamente por estar encarnado eu tenho receio de abandonar esse plano (as pessoas com as quais me conectei e tudo o que “conquistei” nesse momento), mas e a Fé, qual é o papel dela no momento em que meu coração se aperta ao pensar na possibilidade do desencarne e deixar aqui aqueles que fazem parte da minha vida?

A nossa compreensão sobre qual o nosso real papel nesse tempo muitas vezes demora e nossos receios/medos só aumentam com a possibilidade de determinadas situações em nossas vidas. Como diz uma expressão muito usada pelos espiritas, nada nessa vida acontece por acaso, ninguém cruza seu caminho ou entra em sua vida por mero capricho do destino, estamos todos conectados desde antes e estaremos após o desenlace ao final dessa missão. E justamente por nos encontramos em um processo de evolução, eu entendo como razoável o medo se sobrepondo a Fé. Nosso estimado Chico Xavier tem um episódio muito famoso durante um voo de avião onde ele pede ajuda à providência divina durante uma turbulência, o que foi isso senão medo?

É razoável o medo, só não é razoável que ele se sobreponha a fé a todo momento, nossa fé é o que nos dá suporte e tranquilidade para os momentos onde o medo pode se fazer presente, dominando nossos sentimentos e nos deixando cegos.

Há muitos anos, após terminar a leitura do livro que iria mudar o resto da minha vida, eu pensei: gostaria de ser médium, mal sabia que minha carta já estava marcada e começava ali a minha jornada para um novo caminho com novas perspectivas, muitas dúvidas e muitos questionamentos. Em tempo, o livro ao qual me refiro é o Livro dos Espíritos.

Hoje quase 35 anos após esse episódio eu me vejo médium pertencente ao corpo mediúnico de uma casa de caridade e em meio a uma pandemia, e como nós ficamos nessa história toda com a fé, os medos e a mediunidade?

Vivemos hoje talvez um dos momentos mais importantes em nossas vidas e isso independente de sermos ou não médiuns, mas algumas pessoas têm a vã ilusão de que nós temos alguma proteção especial ou algum tipo de “poder” que nos deixa mais “preparados” para enfrentar essa situação, e infelizmente não é nada disso que acontece. Como qualquer pessoa normal nesse planeta, nós médiuns talvez estejamos sofrendo um pouco mais por conta das vibrações que acabamos captando de forma voluntária ou não, vibrações e emoções que estão mexendo demais com nosso emocional e causando muitos distúrbios em nossas cabeças e consequentemente nossas vidas. Mas e aí, onde entra a mediunidade nessa história toda? Bem, a mediunidade que traz as vibrações e energias com nossa anuência, também nos dá o devido suporte para que saibamos como reagir com isso tudo. É através da mediunidade que acabo encontrando o suporte para que possa restabelecer meu horizonte e manter-me firme, mas isso não é fácil e tenho certeza de que outras pessoas estão passando por situações análogas. Algumas pessoas podem até questionar que eu consigo isso por que sou médium, mas o que eu uso e que qualquer um pode usar é fé e conexão com a religiosidade e nessa hora não existem conceitos certos ou errados, teu caminho independente da estrada escolhida é que vai propiciar o seu encontro com o seu sagrado.

Às vezes parece que estamos em um turbilhão de emoções subindo e descendo como se colocássemos nossa cabeça no banco de um carrinho de montanha russa, nosso corpo treme, choramos copiosamente, nosso coração parece pressionado por um peso invisível que amassa de tal forma que a sensação é que vai explodir. Posso dizer para vocês um pequeno grupo de procedimentos para amenizar a situação, mas tudo depende de você. Meditar, Orar, Movimentar e outras mais que signifiquem reconexão, movimento e fé, qualquer coisa que tenha um significado positivo e uma ligação direta com o seu sagrado. São procedimentos aparentemente simples, mas que às vezes nossa cabeça transforma em algo maior do que nossa capacidade. O medo quase passa a ser uma constante em nossas vidas, mas é necessário que procuremos ajuda e que apesar de sermos médiuns, isso não nos isenta ou nos impede de procurarmos a ajuda certa para o problema certo. Não é no Terreiro que consertamos uma perna quebrada e muito menos em um dentista que iremos falar da nossa alma. O momento é de cuidarmos da nossa cabeça, corpo e espírito, recuperar nossa vontade de seguir em frente apesar de todas as mazelas que são lançadas o tempo todo sobre as nossas cabeças. Não nos conectarmos a tudo o que está acontecendo já ajuda muito, mas procurar saber o que ocorre também é necessário e por isso devemos criar um filtro para separarmos o joio do trigo e não deixar que as energias que estão sendo manipuladas nesse momento possam nos afligir mais ainda.

Lembre-se de seu papel como médium, mas lembre-se também de que você NUNCA está sozinho nessa jornada.


7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo