• Ideias & Ensaios

Ponha-se no lugar do Outro

Atualizado: Mar 16

Quantas vezes tomamos atitudes que acabam por interferir na vida de terceiros, sejam eles parentes próximos, amigos ou simples desconhecidos?

Pôr-se no lugar do outro pode ser uma experiência dolorosa, pois só assim poderíamos evidenciar o que realmente somos e como tratamos o próximo, seja ele quem for. Nossa visão obtusa ou egoísta muitas vezes nos impede de enxergar a situação pelo lado daquele que sofre ou recebe o resultado da nossa ação ou o que quer que seja que estejamos fazendo ou falando naquele momento. Nossa falta de empatia causa uma cegueira para essa questão, nosso ego sempre preponderante vai dizer que estaremos sempre com a razão e o outro, ele simplesmente se transforma em “o outro”. Se fossemos capazes de nos colocar no lugar dele, talvez muitas coisas pudessem ser mudadas sem grandes traumas, e não seriam ditas porque simplesmente você não quer ouvir aquilo que você mesmo pode proferir.

Alguém já deve ter ouvido a famosa expressão, “Não faço com o próximo o que não quer para si”. Então me pergunto, porque temos que ser tão indiferentes com o próximo se não gostaríamos de ser tratados daquela forma. A pandemia pela qual estamos passando expôs o egoísmo do ser humano como uma fratura exposta, está visível para quem quiser ver, ouvir e sentir. As pessoas pouco se importam com o que pode acontecer com o próximo, seja ele quem for, a questão é o EU.

Poder assumir o lugar do outro pode ser uma experiência sem igual na vida de qualquer um, por alguns dias ou às vezes horas. Boa parte da população é incapaz de olhar para pessoas em condições de miséria e sentir alguma empatia, pelo contrário, o que ocorre, às vezes é um sentimento de tamanho desprezo que assusta.

Quando olho para as praias e ruas no momento pelo qual estamos passando questiono se essas pessoas seriam capazes de estender seu olhar para aqueles que estão entubados em hospitais, para os que aguardam um leito para serem tratados e com boas possibilidades de morrerem nessa espera, de terem um mínimo de consideração pelos profissionais de saúdes que estão sendo levados a exaustão e muitos quase sem contato com suas famílias, como isso é possível?


Proponho alguns questionamentos sobre colocar-se no lugar do outro:

Quando for proferir alguma de suas verdades, aquelas frases que usamos para achincalhar ou mesmo humilhar uma pessoa através de uma “brincadeira”;

Quando estacionar em frente a um portão com a famosa desculpa do “é rapidinho” sem pensar que alguém pode querer sair com urgência;

Quando ignorar a fala de alguém sem mesmo dispor de um único minuto para ouvir o que o outro tem para dizer, isso pode salvar uma vida;

Quando enxergar alguém em dificuldade, procure ajudar mesmo que seja apenas um aperto de mão ou ceder um único minuto de sua atenção;

Quando sentir vontade de ir para uma festa ou reunião, procure olhar a sua volta e veja se quem está próximo merece ser infectado pelo vírus da COVID-19 simplesmente porque você não que se cuidar;

Olhe sempre a sua volta antes de tomar uma atitude que possa magoar ou ferir alguém próximo de você;

Como umbandista costumo dizer que a cada qual seu próprio caminho, suas escolhas e seus resultados. Lá na frente ninguém poderá reclamar das escolhas que foram feitas por cada um durante esse momento, pois tudo nessa vida tem consequências que nem sempre agradam. O discernimento é uma faculdade comum a todos, ele existe e é sua a decisão de seguir de acordo com o SEU discernimento. A pandemia nos trouxe a oportunidade de nos conectarmos mais uns com os outros, podermos olhar para aqueles que mais necessitam sem aquele olhar de comiseração ou pena falseada por belas palavras. Todos temos o dever de ajudar a quem puder dentro de suas possibilidades e capacidades, mas o mais importante nesse momento e a maior prova que você pode dar é fique em casa, saia somente quando necessário, se for obrigado a sair cuide-se e lembre-se daqueles que estão em casa aguardando e orando por você e pela sua segurança. Ponha-se no lugar deles.



4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo